Portugal não tem fama de bons vinhos à toa. Além de maravilhosos, são muito baratos em comparação ao resto do mundo, inclusive ao Brasil. Aqui, os vinhos são muito bem classificados pela faixa de preço. Claro que existe marketing que alteram o valor real de alguns vinhos, como não, mas você tem a certeza de que bebe um bom exemplar de acordo com a faixa de preço em que ele se encontra. É como se fosse uma classificação natural, vinhos mais caros, serão sim, melhores. Pronto! Mas sempre tem as pérolas escondidas que só os que já provaram sabem.

Seguindo essa metodologia, me arrisquei na compra de alguns exemplares em supermercados, restaurantes e lojas especializadas em vinhos. Nada muito elaborado ou escolhas prolongadas. Ao contrário. Certamente que em lugares onde há uma orientação a escolha é mais certeira, pois já temos nosso paladar para vinhos e podemos descrevê-lo ao sommelier do estabelecimento para que o mesmo possa nos auxiliar na busca pelo vinho mais adequado àquilo que buscamos.

Dito isso, vamos aos vinhos experimentados até agora e saber um pouco sobre cada um deles e seus respectivos valores (preço de mercado – em restaurantes variam muito os preços).

 

 

Herdade do Rocim (Alentejano, 2016)

Um dos melhores vinhos que já experimentei. Sabores intensos e taninos macios com passagem por barrica. Um vinho com muita personalidade. Segundo o site da própria vinícola, o Rocim “é um vinho genuíno, produzido a partir da paixão de gerações que tiveram sempre pela terra o maior respeito e ternura”. O Herdade é constituído a partir das castas Touriga Nacional, Aragonez e Alicante Bouschet. A Quinta se localiza entre a Vidigueira e Cuba, no Baixo Alentejo.

Preço: 9 €

 

 

Cabriz (Tinto – 2014)

Foi considerado um dos 50 melhores vinhos do mundo em 2016. Só isso já diz quase tudo sobre esse exemplar. O Vinho Tinto Quinta de Cabriz, Colheita Seleccionada, apresenta um aroma impactante, bom fruto, tostados, minerais e madeira. Corpo mediano, mas com uma boa presença e taninos bem maduros e polidos. Termina com alguma persistência. Ele é composto pelas castas Alfrocheiro 40%, Tinta Roriz 40% e Touriga Nacional 20%. Harmoniza com peixes assados no forno, carnes brancas assadas, carnes vermelhas moídas e assadas e queijos macios.

Preço: 4 €

 

 

Terras de Felgueiras (Alvarinho Vinho Verde)

Vinhos Verdes só são produzidos numa zona específica de Portugal. Um lugar conhecido como Minho, região inclusive em que nasceu Portugal. Local onde foi coroado o primeiro rei do país. Os Vinhos Verdes podem ser brancos, rosés ou tintos. Este, mais especificamente, é um vinho simples, muito frutado e delicado, excelente para ser consumido em dias quentes e acompanhar frutos do mar. Mas o melhor de tudo é o preço, como poderão conferir abaixo. Encontramos este exemplar numa das maiores redes de supermercados de Portugal, o Pingo Doce.

Preço: 1,6 € (é isso mesmo, não tá errado não!)

 

 

Quinta de La Rosa (Rosé, 2016)

Engarrafado em 2018, este rosé está pronto a ser consumido. Excelente como um aperitivo refrescante. Dada a sua estrutura, harmoniza bem com saladas, frango e outras carnes brancas. As castas usadas na produção são 40% Vinhas Velhas, 30% Touriga Nacional, 10% Touriga Franca, e 20% Tinta Roriz. O rosé tem uma bonita cor salmão, aroma floral, fresco e muito delicado. Na boca boa fruta com notas de groselha, muito suave e leve.

Preço: 8 €

 

 

Vila Real (Tinto – Douro Reserva, 2014)

Deste posso afirmar que já bebi algumas garrafas por aqui. Custo-benefício excelente. Tem aroma intenso de frutos vermelhos e pretos do bosque. Provém das principais castas plantadas em zonas altas e frescas do Douro, como a Tinta Roriz, mais aromática e leve, a Touriga Franca mostra muita fruta e notas vegetais discretas e Touriga Nacional. O breve estágio em barricas francesas complexa o aroma de fruta e estágio deste excelente exemplo de vinhos do Douro com perfil moderno e internacional, mas muito típico. Na boca é doce e envolvente, com taninos nobres muito suaves, final longo e quente. Acompanhe com pratos robustos tradicionais de Trás-os-Montes, defumados de porco e embutidos, cabrito assado no forno e outras iguarias da cozinha tradicional portuguesa.

Preço: 2,95 €

2 comentários em “5 vinhos portugueses para começar

    • 23 | julho em 14:53
      Permalink

      Obrigado, Sílvia!!! <3

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + 2 =