Sabe quando você viaja e quer conhecer realmente a gastronomia do país? Muitas vezes caímos em armadilhas turísticas, altos preços ou até mesmo provando coisas que nem são locais, estão lá apenas porque agradam os mais diversos paladares.

O Alcântara 50, comandado desde sempre pelo Seu João e pela Dona Fátima, sua esposa e quem faz as delícias do restaurante, que é uma surpresa maravilhosa em todos os quesitos. Sabores portugueses de verdade, preço justo, atendimento pelo próprio dono e sua família e um carinho a mais com a decoração do restaurante.

Não à toa, o Alcântara 50 tem nota máxima no Trip Advisor, isso mesmo, cinco estrelas bem cheias. O estabelecimento só é frequentado por quem o conhece ou por quem realmente pesquisa sobre a gastronomia local. Fica numa zona ótima pra se morar em Lisboa, o bairro ou freguesia de Alcântara, próximo à Ponte 25 de Abril.

Ele leva o nome do bairro e o número da sua morada no nome. Simples, assim como sua comida caseira e muito saborosa.

 

O reencontro

A visita ao Alcântara 50 marcou o reencontro com uma ex-colega de faculdade, a Suzana Guimarães. Há tempo vínhamos combinando este encontro em Lisboa, já que ela estava na cidade a trabalho por poucos dias. Não éramos amigos até então, confesso. Somente ex-colegas. Não sei se foi a água pura de Lisboa, a luz da cidade ou se foi a magia do restaurante que nos aproximou e fez nascer uma bela amizade. Daquelas que a gente sabe que será pra sempre.

Passamos boas horas compartilhando histórias de vida, experiências e vivências por esses 17 anos em que ficamos distantes desde o final da faculdade de Jornalismo na PUCRS. Nem preciso dizer que, a partir dali, passamos a nos admirar e fizemos vários programas juntos pelas ruas e cantinhos lisboetas.

 

Os pratos

Viemos aqui para comer, não é mesmo? Logo de cara veio o couvert dos restaurantes típicos, pão e umas pastinhas para acompanhar. Ah, esse pão de Portugal. De morrer comendo. Pedi uns Filetes de polvo empanados com salada e arroz de polvo com pimentos, estava uma delícia. A Suzana escolheu as Pataniscas (filetes) de bacalhau, também empanadas com arroz de coentros.

Para acompanhar, a Suzana foi na água, sim a dona bebe muita água. Eu, como de costume, pedi um vinho verde a copo para matar a sede.

Por fim, a sobremesa. Disse o seu João que o mousse de chocolate com crumble de caramelo era das melhores sobremesas de Portugal. Não é que ele tinha razão? Sensacional. Uma combinação que ainda não havia experimentado e que deu muito certo.

Suzana pediu um leite de creme (ou Crème brûlée), outra especialidade da Dona Fátima. Estava muito bom, mas não chegava aos pés do mousse.

 

A decoração

Essa é uma seção à parte mesmo. Especialmente quando vamos ao banheiro do Alcântara 50. Muitos objetos pessoais, fotos, colagens de jornais e revistas, me senti quase em casa com tantos objetos que lembram a vida de um jornalista.

 

Os detalhes

Além de todos os mimos no atendimento, na decoração e, obviamente, na cozinha, Seu João fez questão de conversar conosco ao final do almoço. Ficamos por fechar o restaurante, e ele nos contou algumas boas histórias de suas viagens pelo mundo até sossegar um pouco com a criação do estabelecimento.

Detalhes de sua vida pessoal, nas paredes, na decoração e no menu. Sim, como bom jornalista e diagramador que fui a vida toda, não pude deixar de perceber que a ementa era em formato de jornal. Com capa, notícia e os itens descritos na parte interna do impresso. Algo a mais que, às vezes, faz toda a diferença para quem visita o Alcântara 50.

Obrigado, Seu João. Voltarei certamente.

A conta

  • Couvert 3.50 €
  • Água 1.55 €
  • Vinho Verde a Copo 3 €
  • Filetes de Polvo 13.90 €
  • Pataniscas de Bacalhau 12 €
  • Leite de Creme 3.90
  • Mousse de chocolate 3.50
  • Chá 1 €

Total: 42.35 €

Alcântara 50
R. Vieira da Silva 50, 1350-187 Lisboa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 4 =