Cervejaria Trindade: uma história desde 1836 em Lisboa

Situada entre o Chiado e o Bairro Alto, a Cervejaria Trindade está no centro mais famoso e movimentado de Lisboa. Serve suas cervejas desde 1840, apenas quatro anos depois da compra e reforma do prédio que, certa vez, foi um convento.

Todos os detalhes e a decoração interna com azulejos foram reaproveitados do sítio religioso que se encontrava na altura do número 20 da rua da Nova Trindade, edifício que foi construído originalmente no ano de 1294.

No interior da cervejaria, no seu salão principal, o destaque são os azulejos de autoria de Luís Ferreira, chamado “Ferreira das Tabuletas”. Apresenta símbolos maçônicos ligados aos ideais do proprietário Manuel Moreira Garcia, industrial galego que, em 1834, comprou as ruínas do convento para instalar a primeira cervejaria de Portugal.

 

Uma cervejaria, claro!

Chegamos para beber. Dia escaldante desses que só o verão de Lisboa sabe oferecer. Estávamos eu, Manu (amigona de todas as horas), meu pai e a Mary (sua esposa). Pedimos logo quatro imperiais e vários pastéis de bacalhau e croquetes. Petiscos para acompanhar a cerveja, na verdade.

Encantado com a beleza do lugar, fui fazer as fotos das salas, dos azulejos e também dos petiscos, claro. Tudo muito bom. O lugar estava quase vazio, pois chegamos no meio da tarde. Logo, o atendimento foi rápido e muito bom.

A cerveja no ponto certo, como não poderia deixar de ser. Foram umas 3 ou 4 pra cada um. Confesso que saímos de lá muito satisfeitos e encantados com o lugar. Voltarei! Até porquê, em alguns dias da semana, há o evento Fado na Cervejaria Trindade. Adoro fado, logo estarei por lá em breve.

 

Na entrada

Logo na entrada da Cervejaria tem uma amostra de todos os frutos do mar servidos. Lagostas, camarões-tigre (os grandões), mariscos, amêijoas, caranguejos, percebes etc…. Este último, o tal do Percebes, tinha muita curiosidade de experimentar. De aspecto um tanto assustador, estava sem muita coragem até que o rapaz que estava ali me ofereceu a provar.

Como não costumo recusar provas ou desafios, lá fui eu provar o tal marisco. Ele é feio, mas o gosto é de mar. Água e sal, nada mais. Foi até um tanto simples e decepcionante. Não entendo por que colher esses bichinhos das crostas de pedras no fundo do mar por tão pouca “carne” e sabor. Coisas da tradição, acredito. Costume mesmo.

A conta

  • Imperial 2 € (chope)
  • Pastel de Bacalhau ou Croquete 1.30 € (unidade)

Cervejaria Trindade
R. Nova da Trindade 20 C, 2715-311 Lisboa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + seis =