Noite de São João no Porto: sonho realizado!

Desde que comecei a planejar minha vinda para Portugal eu tinha uma coisa em mente: estar no Porto dia 23 de junho de 2018 para a noite de São João. Sou apaixonado por fogos de artifício e por balões. Sim, balões!!! Além disso, o número 23 tem toda uma mística pra mim e é uma festa popular muito aguardada por quem vive a cidade e pelos milhares de turistas que invadiram a cidade.

Tudo deu certo neste ano! Graças a Deus e a muito esforço e dedicação por um sonho. Fui recompensado com uma noite inesquecível. Luzes, sons, cheiros e muita alegria pelas ruas do Porto me fizeram crer que estou no caminho que deveria estar. Poder viver este dia foi uma das maiores realizações de uma vida. Tenho 39 anos e foram poucas as vezes que me senti tão feliz. Engraçado que quase todas as outras foram também em viagens, por que será?  hehehehe…

A festa mais importante do Porto contou com as ilustres presenças do primeiro ministro de Portugal, António Costa e da Paolla Oliveira (mas, infelizmente não a encontrei). Então é sinal de que a coisa ia ser boa mesmo. Os fogos, como na noite de Ano Novo, entraram em cena à meia-noite. Mas, antes disso, percorri por horas todos os cantinhos da festa em busca da tão aguardada sardinha assada na broa de pão.

Encontrada a sardinha, pedi um copo de Vinho Verde e sentei à margem do Douro (literalmente) para aguardar o tão sonhado momento dos fogos. Estava tão perto do rio que a maré foi subindo e, no final dos fogos, estava quase com os pés dentro d’água. De verdade!

A hora chegou e o encanto não poderia ter sido maior. Estava extasiado e em dúvidas se fazia fotos com o celular, com a câmera ou se sorria. Foram incríveis 20 minutos de uma pirotecnia linda e de muito bom gosto. Só faltou uma música de fundo para deixar a festa ainda mais perfeita. Mas não podia pedir mais nada.

Depois dos fogos, como estava em Gaia, tinha que atravessar a ponte para voltar ao Porto. A multidão era tão grande que só esse processo levou mais de 1h. Isso tudo porque a ponte não suporta volume máximo de pessoas ao mesmo tempo. Tinham policiais controlando a quantidade de pedestres a cruzá-la. Dessa forma, tudo foi muito lento e gradual.

A maior surpresa foi na hora de passar para o outro lado. No meio da ponte ela começou a chacoalhar para os lados. Isso mesmo. A ponte balançou muito. Algumas pessoas se desequilibraram e quase caíram no chão. Foi o momento tenso da noite.

Chegando ao Porto começaram as festinhas em frente aos bares que ainda estavam abertos. Muita música, de todos os tipos e para todos os gostos. Mas, as que prevaleciam na maioria eram músicas adivinhem de onde? Isso mesmo, do Brasil. Muito funk. Aliás, os portugueses adoram funk. Seja do Brasil ou daqui mesmo. Tocou muito esse ritmo por aqui. Algumas cervejas depois, eu e meus novos amigos portugueses nos separamos, pois já estava na hora de voltar pra casa. Afinal, quase 40 anos não dá pra ficar muito tempo na rua. Foram só 10h em função da grande noite… hehehehehe. Das 18h de sábado até às 4h30 de domingo. Pra mim, quase um recorde.

Valeu cada segundo. Se pudesse faria tudo de novo no dia seguinte.
Obrigado, Porto! Obrigado, Portugal!
Essa noite jamais será esquecida.

A conta

  • Sardinha 2
  • Vinho Verde 2
  • 3 Copos de cerveja 6

Total = 10

 

Festa de São João
Douro, Porto, Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − doze =