Não sou muito de ir a shoppings centers. Não gosto de aglomeração de gente, muito menos na hora de uma refeição. Comer em paz, com calma e apreciando o momento é o que faz a experiência realmente valer a pena.

Por isso, não tinha escrito nada ainda sobre o Time Out Market do Mercado da Ribeira, em Lisboa. Está sempre cheio ao almoço. Sempre. Durante o ano todo, pelo que me disseram. Já passei ali pra pegar coisas pra levar, mas nunca havia parado pra comer. Então, apesar das inúmeras opções de comida, sabores, sobremesas e delícias pra levar pra casa, confesso que o lugar me deixa um pouco aflito.

 

O lado “B”

No entanto, a querida amiga Martha me mostrou o “lado B” do lugar. Alguns restaurantes, ao menos os que ficam nas extremidades do Mercado, têm duas faces, uma pra dentro, onde as pessoas pegam suas bandejas e dirigem-se às mesas coletivas, ou (aqui está o segredo) você dá a volta e senta em bancos virados para os “fundos” do estabelecimento.

Além de muito mais tranquilo, come-se vendo a cozinha e o preparo de cada refeição. Gosto muito de apreciar como uma cozinha trabalha a toda velocidade e organização para atender a tantos pedidos em pouco tempo.

 

Os pedidos

Eu e Martha estávamos entre dois dos pratos, acabei escolhendo o Tagliatelle com camarões e vieiras. Estava divino. Prato bem servido e só faltou, na minha opinião, um bom parmigiano reggiano ralado por cima. Adoro queijo parmesão em cima de qualquer massa. Alguém não gosta?

Martha pediu o Naco de bacalhau com batatas. Estava lindo o prato. Pra beber pedimos uma taça de Vinho Verde Alvarinho, pra variar. Esse já tem cadeira cativa em nossos corações.

 

A sobremesa

Descobri há pouco tempo um tal de Pudim Abade de Priscos. Apareceu na minha timeline do Instagram a sugestão do @pudimdoabade_bymigueloliveira. Fiquei curioso, pois o doce é lindo. Uma cor avermelhada como mostra a foto, mas tem um sabor único. Bem doce, é verdade, mas surpreendente.

Perguntei ao perfil onde encontrar em Lisboa, já que o doce é produzido em Braga e de origem da mesma cidade. A resposta veio logo, no Comida Independente, no bairro de Santos, em Lisboa. Logo farei um post sobre o lugar. Então, lá fomos. Experimentamos e adoramos o doce. Ah, esse lugar fica bem próximo ao Time Out Market, uns cinco quarteirões.

O doce é realmente incrível. Algo que tem que experimentar ao vir para Portugal. Mesmo louco por doces, não sabia que isso sequer existia. Acho que era melhor que nem soubesse.

 

O Abade de Priscos e sua famosa receita

A história do Pudim Abade de Priscos está relacionada com a importância de um abade da freguesia de Santiago de Priscos, em Braga.

Este abade, considerado um dos melhores cozinheiros do século XIX, nasceu em Santa Maria de Turiz (Vila Verde) em 1834 e viveu até seus 96 anos. Fato raro pra época. Serviu a paróquia de Priscos durante 47 anos. Além dos dotes culinários, pelo que ficou famoso, era ainda conhecido por ser habilidoso a passar a roupa, a costurar e a bordar melhor do que as freiras.

Apesar dos muitos dotes deste abade, foi o seu pudim que o imortalizou, sendo ainda hoje considerada uma das iguarias mais deliciosas do país, representando ao mais alto nível a região do Minho. O doce Pudim Abade de Priscos tem atualmente uma confraria cuja missão é preservar a receita original do pudim, bem como outras deixadas pelo abade.

Fonte da História: www.e-konomista.pt

 

A receita

PUDIM ABADE DE PRISCOS

  • Ingredientes
  • 15 gemas de ovo
  • 500g açúcar
  • 1/2l água
  • 50g toucinho de presunto
  • 1 cálice de vinho do Porto
  • Caramelo líquido
  • 1 pau de canela
  • Casca de limão

Modo de preparação

  1. Parta o toucinho em lascas muito finas.
  2. Num tacho, leve ao fogo a água, o açúcar, o toucinho, a casca de limão e o pau de canela. Deixe ferver até atingir o ponto de fio.
  3. Passe depois a mistura por um coador e deixe arrefecer.
  4. Num recipiente, bata as gemas muito bem e junte, em seguida, o vinho do Porto.
  5. Incorpore esta mistura na calda arrefecida, mexendo sempre.
  6. Coloque o pudim numa forma coberta com o caramelo líquido, tape e leve ao forno quente a cozer em banho-maria, durante cerca de 40 minutos.

A conta

  • 2 taças de Vinho Verde 10 €
  • 1 Naco de Bacalhau com batatas 12 €
  • 1 Tagliatelle com camarões e vieiras 12 €
  • 1 Pudim do Abade by Miguel Oliveira 7 €

Total: 20 € (por pessoa)

 

Sea Me
TimeOut Market – Mercado da Ribeira – Chiado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =