Surpresa refinada no Tapas nas Costas em Coimbra

Coimbra com chuva não é uma cidade fácil de se visitar. Muitos dos programas a serem realizados na cidade são ao ar livre. Com a exceção, em parte, a da Universidade. Como a entrada é paga e cara (12 euros) e não tinham desconto para jornalistas, o que é um absurdo, decidimos conhecer somente por fora mesmo.

Saindo de lá, a chuva apertou e o destino só poderia ser um bom restaurante para animar um pouco as coisas. Não sabia nada sobre Coimbra, não deu tempo para estudar quase nada da cidade. Então, recorremos ao bom e velho TripAdvisor para escolher um bom lugar para comer. Felizmente encontramos o Tapas nas Costas.

Na rota, estava uma ladeira enorme, que se chama Quebra Costas. Dá até para se imaginar o porquê. Deixamos o carro numa parte um pouco mais alta e descemos a pá. Foram poucos metros de descida e de chuva, felizmente.

O nome do bistrô deve ser relacionado ao da rua. Só pode! Como se fosse uma motivação para quem resolve desbravar a ladeira. E realmente vale a pena. São inúmeros restaurantes, lojinhas bem interessantes e ruelas muito charmosas que levam até o topo onde se localiza a Universidade de Coimbra.

 

A jornada

Na trip da semana do meu aniversário fizemos, eu e Carol, inúmeras cidades de Portugal de carro. Saímos de Lisboa e passamos por Fátima, AveiroPorto, Coimbra, Nazaré, Peniche, Óbidos, Batalha, Leiria, Alcobaça, MonsarazÉvora. Acho que não esqueci de nenhuma. Foram 11 dias e mais de 1400km percorridos.

Coimbra foi o segundo pernoite, pois saímos do Porto onde comemorei meus cumple de 40 anos. Certamente preciso voltar lá pra conhecer melhor. A cidade é linda, cheia de história e com a maior universidade de Portugal e a mais renomada também, conforme os dados oficiais.

 

O almoço

Fomos os primeiros a chegar. Era meio-dia recém completado. Perguntamos se já estava aberto e adentramos o Tapas nas Costas. Um bistrô com muito estilo e que mostra isso na sua decoração moderna e mais intimista ao fundo e mais com cara de bar na parte da frente.

O salão do fundo, onde ficamos, tem um vitral no piso que mostra as rochas debaixo da construção, como se fosse um sítio arqueológico. Bem interessante.

A proposta do menu do bistrô são os pratos para compartilhar. Então resolvemos pedir alguns deles e nos divertirmos um pouco. Carol, pra variar, começou com uma sopa. Somente depois que me arrependi de não ter pedido. Afinal, eu morria de fome e ela realmente estava muito gostosa.

Enquanto Carol pediu uma sangria branca que veio num copo lindo, eu, pra variar também, pedi uma taça de vinho tinto. Um Vallado, 2016. De entradinha vieram os tradicionais pães e azeitonas. Sempre divinos. Não tem como não comer.

Pedimos três pratos: costeletinhas de borrego (cordeiro), magret de pato com purê de cenoura e molho de vinho e uma focaccia de frango. Tudo estava realmente muito bom, com destaque para o magret e as costelinhas. Apesar de as porções serem pequenas, acho que foi comida suficiente para duas pessoas.

 

A sobremesa

Carol pediu um petit gateau de chocolate branco e um tradicional espresso. Eu fui nas trufas de três chocolates. Para acompanhar, um Porto 15 anos. Afinal estava frio e chovia. Tipo um bom prêmio de consolação.

Por fim, um passeio pela cidade de dentro do carro e um cochilo merecido no hotel. Infelizmente, Coimbra passou muito rápido. Voltarei, certamente.

A conta

  • Sopa €3.00
  • Azeitonas e pão €3.70
  • Copo de vinho €3.80
  • Sangria branca €4.00
  • Costeletinhas de borrego €7.00
  • Magret de pato €7.50
  • Focaccia €4.90
  • Petit gateau €4.80
  • Trufas €4.50
  • Café €1.00
  • Porto €5.00

Total: €49,20

 

Tapas nas Costas
R. Quebra Costas 19, 3000-180 Coimbra, Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 14 =