The Wine Cellar: um toque refinado no Cais do Sodré em Lisboa

O The Wine Cellar fica numa das mais badaladas zonas de Lisboa, quase embaixo da passarela da Rua do Alecrim, no Cais do Sodré. A região é cheia de bares, tascas, restaurantes, cafés e casas noturnas.

Já fui em diversos lugares pela região, e o The Wine Cellar sempre me chamou a atenção. Primeiro por que é um lugar elegante, com uma decoração moderna e muito acolhedora. Daqueles cantinhos que dá vontade de entrar e ficar horas bebendo os melhores vinhos portugueses.

E é exatamente sobre isto que trata o lugar: vinhos. Com uma carta imensa dos melhores exemplares de todas as regiões de Portugal, a casa faz jus ao nome. Na tradução literal: “A Adega de Vinho”.

 

Como chegamos até aqui

Estava recebendo uma visita muito querida na cidade. Um primo que não via há uns 35 anos “somente”. Não queria desapontar os gostos de alguém que conhece o mundo e que já morou na Europa por anos.

Cláudio Camargo e sua esposa Regina me designaram a árdua tarefa de achar um lugar que tivesse o melhor da comida lusitana, um bom vinho e uma cerveja de copo (sim, o Cláudio não vive sem cerveja).

Dada a missão, fui atrás de um lugar com essas características. Confesso que não foi tão simples. Queria impressionar, mas ao mesmo tempo que o lugar fosse bacana e com boa comida. Demos sorte.

 

As comidas

Com um menu enxuto e muito bem pensado, o restaurante serve o que há de melhor na gastronomia portuguesa: desde tábuas de queijos e enchidos, pratos como o lombo de bacalhau, polvo gratinado, coxa de pato confitada, bifes ou até mesmo alheira assada.

Para iniciar pedimos duas entradas para compartilhar. Um sanduíche de alheira com batatas fritas em gomos e Pimentos Padron recheados com queijo de ovelha amanteigado gratinados sobre tomates – ambas muito boas.

Quanto aos pratos, a Regina escolheu o Lombo de bacalhau com espinafre e batatas assadas. O Sérgio que se deu melhor, pediu as Burras Alentejanas (bochecha de porco preto) grelhadas com salada e batatas fritas. Realmente sensacional. Recomendo.

Enquanto eu, que sempre peço por último para não repetir o prato de ninguém, pedi a Alheira com babatas fritas, pois a da entrada me deixou com vontade de mais. Realmente, estava uma delícia.

 

Os vinhos

Os vinhos merecem um capítulo à parte. Com uma carta imensa, tendo mais de 100 rótulos de todo país, a tarefa da escolha tornou-se um pouco difícil. Mas nada que já não tenhamos passado nessa vida. Um amigo sommelier, que mora no Porto e é dono de uma pizzaria, me disse uma vez que em Portugal não tem vinho ruim. O que é uma verdade quase absoluta. Mas se você não quer errar no vinho, escolha um vinho do Dão ou do Douro. Ambas as regiões têm denominação de origem controlada e exemplares maravilhosos de todas as faixas de preço. Desta forma, não tem erro, posso afirmar.

Porém, sempre tem um porém, resolvi escolher um vinho da região da Bairrada, algo entre Porto e Lisboa, um pouco mais a leste. Para acompanhar o jantar – já que o Cláudio não beberia vinho comigo e com a Regina –, escolhemos o tinto Vadio, 2014. Vinho mais cristalino e frutado, ótimo para abrir os caminhos da noite.

Não satisfeitos com uma garrafa, fomos para a segunda. Daí vem aquela velha questão: mudar ou não mudar? Depois de uma conferência com a Regina, mudamos! Escolhemos o Ribeiro Santo, reserva 2015, do Dão. Excelente escolha. Um dos melhores vinhos que tomei até agora por aqui. Já está na lista dos preferidos.

Como disse antes, a adega do restaurante é muito diversificada, com vinhos de todas as regiões e para todos os bolsos.

 

As sobremesas

Essas poderiam ser um pouco mais caprichadas, destoaram um pouco do resto do menu e não foram nem de perto as estrelas da noite. Falo de todas porque eu realmente faço uma prova de cada acompanhante. Algumas pessoas não se importam e, quase sempre, todo mundo me oferece. Afinal, sabem do meu trabalho de escrever sobre cada um dos lugares e sua gastronomia.

Pedimos uma reinvenção do Tiramisu (não precisavam reinventá-lo, deixem como estava), um Crumble de maçã com gelado (sorvete) e um Bolo cremoso de chocolate, tipo mousse. Nada ruim, mas nada a se escrever a respeito.

A conta ficou em 40 € (por pessoa, com bebidas)

The Wine Cellar
Rua de São Paulo, 49, Lisboa 1200-426, Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 2 =